terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

O esquema de Deus

Estamos todos entrosados no Esquema de Deus.
 Esse esquema nos leva, através do tempo, à paz da eternidade.
 Mas o conceito estático de eternidade não prevalece no Espiritismo, onde ela aparece como duração.
 O tempo é a visão fragmentária da duração, um recorte do absoluto para o uso das nossas percepções relativas.
Os que se apegam ao relativo, às ilusões do temporário, esquecidos de sua própria transcendência, vivem na inquietação e portanto em guerra consigo mesmos e com o mundo.


O Esquema de Deus é o plano universal da evolução do qual vemos apenas alguns pedaços acessíveis aos nossos sentidos.
 Mas a nossa mente, que é cérebro da alma, pode perceber além dos sentidos.
Por isso, nas experiências parapsicológicas já se comprovou, cientificamente, que podemos ver com nitidez o passado e o futuro, confirmando-se, assim, as pesquisas espíritas de mais de um século.


Os que aprendem a se libertar do relativo para vislumbrar a duração (que é a eternidade em conceito dinâmico) aprendem a superar a inquietação a encontrar a paz.


Pela evolução, nossa mente se abre, como uma flor que desabrocha, para a percepção progressiva do absoluto que nos proporciona a paz.
Não a paz do mundo, como ensinou Jesus, mas a paz do espírito.
A percepção individual dessa paz se transforma aos poucos, em conquista coletiva, na proporção em que a humanidade se eleva e o mundo se transforma.


Assim, pela evolução dos homens e do mundo, a paz do espírito, que parece individual, se revelará coletiva e universal.
É importante sempre nos lembrarmos de que nada e ninguém nos poderá arredar do Esquema de Deus.


Francisco Cândido Xavier


Extraído da internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Os pés conduzem o corpo, e a mente traça o caminho"